Goodreads

Destaques

0 Tim | Opinião


Uma história de amor única e inesquecível. Mary Horton tem quarenta e três anos e vive num subúrbio tranquilo, de classe média, na costa australiana. É uma mulher solteira, muito rígida e distante, que conseguiu construir uma vida às suas próprias custas, mas o seu conceito de «vida» não inclui relações pessoais. Sem um namorado nem amigos, Mary não quer deixar ninguém entrar na sua vida solitária.

Tim Melville é um trabalhador manual de vinte e cinco anos, com o rosto e o corpo de um deus grego, mas a cabeça de uma criança. Num mundo cruel e inflexível, apesar da sua família maravilhosa, Tim acaba muitas vezes por se deixar levar pelos que se dizem seus amigos e que se aproveitam dele.

Tim conhece Mary por acaso, numa manhã de verão, e aquilo que começa por ser um dia de trabalho para ele transforma-se numa relação que vai mudar a vida dos dois.


Autor: Colleen McCullough
Editor: Bertrand Editora (Março, 2016) 
Género: Romance
Páginas: 272
Original: Tim (1974) 


opinião
★★★★
Os protagonistas deste livro, tão pouco habituais num romance, fazem desta uma história única!

É justo dizer que Mary e Tim se encontraram um ao outro na altura certa das suas vidas e que as mudanças que despoletaram lhes permitiu encontrar a felicidade pela primeira vez. Mary já passou dos 40 anos, não tem amigos e nunca deixou que um homem entrasse na sua vida. Com quase metade da sua idade, Tim é dono de enorme beleza física, mas sofre de deficiência intelectual. A amizade que rapidamente se desenvolve entre ambos irá melhorar as suas habilidades sociais e enriquecer os seus relacionamentos interpessoais... e levará ao desabrochar de um grande amor. 

Alegre, inocente, ligeiramente infantil, Tim tem uma visão muito simplificada da vida, interpretando os sucessivos acontecimentos à sua maneira, moldando-os à sua compreensão.  A família sempre se preocupou com ele e com a sua segurança futura mas lamentavelmente investiram pouco no seu desenvolvimento intelectual.

Não é fácil ler sobre  crueldade dirigida contra uma alma tão inocente como a de Tim. Vítima de incompreensão, Tim vive uma existência muito solitária; apesar das suas tentativas para compreender o mundo que o rodeia e fazer parte do mesmo, é sempre colocado à margem e muitas vezes maltratado. 

Colleen McCullough recheou este livro com parágrafos muito bonitos, carregados de sabedoria sobre a vida e a forma como a escolhemos viver, sobre o que merece precedência. É já ideia generalizada, mas pouco praticada, de que é a beleza interior que conta. McCullough mostra-nos como as aparências iludem: na sua simplicidade, Tim tem na verdade muito para oferecer ao contrário de outros personagens não debilitados na mente mas sim no carácter, manchando a pureza da amizade e amor de Mary e Tim com a sua maldade. 

Tristemente, vemos este amor ser olhado com desconfiança e desaprovação. Gostei muito desta história, adorei os personagens e a escrita irrepreensível da autora favoreceu imenso o livro.




Colleen McCullough nasceu na Austrália em 1937. Começou a sua carreira literária com a publicação de Tim, seguido de Pássaros Feridos, um best-seller internacional que bateu todos os recordes. Ambos foram adaptados ao cinema.
Além dos romances individuais que foi escrevendo, a autora publicou duas séries. O Primeiro Homem de Roma retrata em seis volumes e de forma excepcional a história da Roma Antiga. A série foi elogiada por muitos historiadores e políticos, incluindo Kissinger.Carmine Delmonico» é uma série policial com cinco títulos publicados. A autora morreu em janeiro de 2015, aos 77 anos, na Ilha Norfolk, no Pacífico, onde vivia com o marido.


Nenhum comentário:

Postar um comentário