Goodreads

Destaques

0 As Aventuras de Tom Sawyer | Opinião



No prefácio ao clássico As Aventuras de Tom Sawyer, Twain revela-nos que o seu propósito ao escrever o livro fora entreter rapazes e raparigas e fazer recordar aos adultos aquilo que eles próprios tinham sido. 

E é assim que as encruzilhadas da infância, onde se cruzam liberdade e responsabilidade, são trilhadas com imensa mestria, humor e pés descalços por um autor que não se coíbe nunca de elevar à condição de caricatura as contradições e as certezas dos adultos.


Autor: Mark Twain
Editor: Civilização (2014)
Páginas: 304



opinião
★★★★✩ (4/5)

Gostei muito de ler As Aventuras de Tom Sawyer e penso que nostalgia será a palavra chave para o justificar... e não apenas porque adorava ver os desenhos animados quando era criança.

Desconsiderando as verdadeiras implicações das suas acções e agindo sem maldade genuína, estas crianças, especialmente Tom e Huckleberry, facilmente nos transportam até tempos em que nós próprios nos expressávamos com igual simplicidade, passando muitas vezes pela casmurrice [demasiadas vezes, no meu caso] e tirávamos as mais rápidas [e extremamente improváveis] conclusões, tomando inclusivamente a magia e o fantástico como bases plausíveis para justificar qualquer fenómeno que escapasse à nossa compreensão.


Para além de me ter permitido retroceder alguns aninhos, a comicidade das sucessivas tropelias de Tom é genuína e a esperteza com que ele lida com as situações que se lhe apresentam é interessante o suficiente para que este possa ser também um livro para os mais crescidos. A facilidade com que chegam às mais estapafúrdias justificações não deixa de ser enternecedora, tal como a simplicidade dos seus diálogos, as tentativas de copiar o comportamento adulto sem, no entanto, possuírem os mesmos propósitos e conhecimentos. Mesmo quando se projectam no futuro, fazem-no com extrema inocência, como se não existisse uma fase de crescimento intermédia e fossem crianças para sempre.

Penso que todos nos podemos identificar um bocadinho com este regila do Tom e, nesse sentido, penso que todos podemos tirar prazer desta leitura.

View all my reviews


Frases Preferidas:
«Acontece muitas vezes que, quanto menos fácil se toma a justificação de certos hábitos, mais nos custa libertar-nos deles.» - p. 51

«embora o padre falasse a respeito do fogo do Inferno, de enxofre, e mostrasse um número de eleitos tão reduzido que quase dava vontade de não ser salvo» - p. 53

«Bem vê, eu não sou boa pessoa - pelo menos é o que todos dizem, sem que eu saiba como defender-me» - p. 254

«a esperança dificilmente morre no espírito dos que têm pouca idade e, por isso, não estão familiarizados com a desgraça» - p. 268


«Ainda mesmo que se trata-se do próprio Satanás, sempre haveria pessoas capazes de pôr o seu nome numa petição de perdão, e deitar uma lágrima de parvoíce.» - p. 283



Nenhum comentário:

Postar um comentário