Goodreads

Destaques

0 Pura Coincidência | Opinião


se de repente se apercebesse de que é o protagonista do aterrador romance que está a ler?

Catherine tem uma boa vida: goza de grande sucesso na profissão, é casada e tem um filho. Certa noite, encontra na sua mesa-de-cabeceira um livro de título O perfeito desconhecido.


Autor: Renee Knight  
Editor: Suma de Letras (Outubro, 2015)
Género: Thriller
Páginas: 80
Original: Disclaimer (2015)   

«She’s a very gifted plotter with a keen sense of timing. She knows just when to amp up the suspense and begin sharply cross-cutting between Catherine and Stephen; the book eventually whipsaws, from action to reaction.» - The New York Times
«The premise is the star of the show but Knight's success lies in keeping her plot, characterisation and unpredictability up to that same standard.» - Express 

 « It’s superior fodder for your summer hols — just beware of reading it on the beach if you have young children who need supervising.» - Evening Standard

«“Disclaimer” forms a trinity alongside “Gone Girl” and the “The Girl on the Train” as the best of domestic noir. That this is a first novel from Renee Knight, a British television screenwriter, makes her sure hand with what’s sinister that much more stunning.» - New York Daily News




opinião
★★★★✰ (4 em 5)

Não sendo um daqueles thrillers enervantes em que o anseio de chegar ao final é quase insuportável, "Pura Coincidência" envolveu-me completamente no seu enredo, levando-me a procurar a verdade por entre mentiras, falsas intenções, desejo de vingança e alguma demência.

A premissa de alguém perceber que é protagonista do livro que está a ler no momento, ainda para mais quando esse mesmo livro revela um terrível segredo do passado e deixa no ar uma ameaça, é suficiente para nos levar a desenvolver interesse por este livro… e a sua leitura vale bem a pena…


A prosa da autora pareceu-me bastante curiosa. Avançando a um ritmo incrível, Renée Knight permite-nos entrar na cabeça dos seus personagens o suficiente para ganharmos alguma empatia por eles, mas não ao ponto de confiramos ou acreditarmos realmente no que dizem.


Com poucas personagens e partindo de uma história perturbadora mas comparativamente simples, "Pura Coincidência" transforma-se gradualmente num extraordinário jogo de suspeitas.





Nenhum comentário:

Postar um comentário