Goodreads

Destaques

0 Os Apanhadores de Conchas + Opinião

UM ROMANCE MÁGICO, QUE NOS FAZ QUERER REGRESSAR

SEMPRE ÀS SUAS PÁGINAS

  O Livro "Os Apanhadores de Conchas" é um romance de laços e ligações: de uma família, das suas paixões, das mágoas e desgostos por ela vividos durante três gerações. 
  Um romance de pessoas reais - mães e filhas, maridos e amantes -, inspirado em valores e ideias tangíveis que tocam verdadeiramente todos os leitores. Um romance mágico, daqueles que surgem uma vez a cada cinquenta anos e que nos faz querer regressar sempre às suas páginas. 
  «Quando um autor diz que se sentiu morrer no instante em que acabou de escrever determinado livro, devemos olhá-lo com espanto e admiração. Foi o que aconteceu com Rosamunde Pilcher com este seu romance. A não perder

A ÚNICA VERDADE GENUÍNA É AQUELA QUE SÓ O CORAÇÃO PODE DAR

Autor: Rosamunde Pilcher
Editor: Marcador (Agosto, 2014)
Género: Romance
Páginas: 432
Original: The Shell Seekers (1987) [Goodreads] [Wook]
COMPRAR

opinião
   (3 em 5)


Quando passo o enredo de Os Apanhadores de Conchas em revista não consigo deixar de o achar muito interessante; aqui temos uma mulher que se encontra muito possivelmente no final da sua vida e que decide, portanto, embarcar numa última viagem ao passado, regressar às suas origens. Penelope transporta-nos até aos anos 40, época de uma guerra que não só condicionou todos os aspetos do seu cotidiano mas que também promoveu o encontro com o homem que se tornou seu esposo e pai dos seus três filhos - um homem que nunca amou realmente e com o qual, noutras circunstâncias, provavelmente não se envolveria. A mesma guerra que acabaria por roubar a vida da mãe e do seu verdadeiro amor, Richard.

Este regresso ao passado, a descrição da vida em tempos de guerra e depois o reencontro com os antigos amigos constitui a minha parte preferida em Os Apanhadores de Conchas. No entanto, quando voltamos ao presente há peças que parecem não encaixar, especialmente tendo em conta a fantástica Penelope que conhecemos na juventude, forte e desinibida, fruto de uma educação que rompeu com tradicionalismos graças a pais compreensivos e modernos, sensíveis ao mundo artístico. Não esperava que esta mesma Penelope acabasse por se moldar aos caprichos do marido ou que continuasse sequer num casamento que não lhe trazia felicidade. Da mesma forma, a personalidade dos filhos em roubar à viabilidade do enredo: Penelope falhou completamente em transmitir os seus valores morais e familiares aos filhos; dois deles cresceram para se tornar gananciosos, interesseiros e invejosos e uma outra, embora livre destas falhas de carácter, demonstra ser disfuncional em relação ao amor e viver apenas para o trabalho.

Também não me senti particularmente atraída pela história de Antonia e Danus, que espelharia o passado de Penelope com Richard, e fiquei até bastante desiludida em relação à forma forçada como o problema médico de Danus foi «resolvido»…

Assim, embora tenha gostado de Os Apanhadores de Conchas, não achei o livro fantástico.





✏ Nasceu em 1924 e foi encorajada a escrever desde pequena. Tinha 15 anos quando deflagrou a Segunda Guerra Mundial. Terminou os estudos e trabalhou durante um ano no serviço Real Naval. Rosamunde Pilcher escreveu ininterruptamente durante todos estes anos para várias revistas e publicou mais de uma dezena de livros. Na DIFEL estão já editados "Os Apanhadores de Conchas", "O Tigre Adormecido", "Solstício de Inverno", "Carrocel do Amor", "Montanhas Silvestres", "Vozes de Verão", "A Casa Vazia" e "O Outro Lado do Amor". Actualmente vive na Escócia, onde se dedica à literatura e à família.




Nenhum comentário:

Postar um comentário