Goodreads

Destaques

0 A Metamorfose

Opinião               

Peguei neste livro só para poder afirmar, com a veemência da experiência pessoal, que não gostava dele…pois bem…se o Sr. Kafka ainda entre nós estivesse, e se outras palavras mais arrojadas lhe faltassem, atirar-me-ia um convicto, sarcástico e gigantesco (e digo mais: muito merecido): LOL! 

Kafka agarrou-me a este livro ao primeiro toque…à primeira frase… 

É notável como, num livro tão pequenino e numa história aparentemente sem sentido, Kafka conseguiu introduzir tantas possibilidades…que não passam disso mesmo: possibilidades. Cabe-nos a nós, leitores, desenvolvê-las e interpretá-las na nossa individualidade. 

Kafka não nos dá tempo algum para suspeitas, para pensar «Ok…há aqui realmente qualquer coisa que não está bem…»; atira-nos isto logo na primeira frase: Gregor adormece humano…e acorda inseto! Sim, completamente absurdo. Pior ainda, Gregor está mais preocupado em perder o comboio para ir trabalhar do que em tentar perceber o que levou a esta transformação e como a poderá reverter. 

Uma maravilhosa metáfora que se decompõe em muitas outras; todas elas bastante profundas: a sociedade, a família, a exploração, o preconceito… 

Gregor era responsável por sustentar a família - pais e irmã - coisa que agora, obviamente, se vê impedido de concretizar. Este bando de ingratos, não tentam sequer perceber como poderá isto ter acontecido a Gregor, não tentam tampouco aprender a lidar com ele nesta sua nova condição; abordando o problema apenas pela influência que este terá nas suas vidas. 

Com o violento choque inicial dos familiares, Gregor é praticamente pontapeado com crueldade para o seu quarto pelo pai, que o empurra às bengaladas, sem piedade, ferindo-o fisicamente… e não só… Estou pessoalmente convencida que o narrador usa o termo «perninhas» para nos magoar também… 

Vivendo com a família mas numa solidão avassaladora, fechado dentro deste novo corpo, Gregor não consegue comunicar com a família, não lhe é dada sequer essa oportunidade - os familiares parecem não perceber que aquele é de facto Gregor, que os conseguia entender…que tinha consciência do que se passava à sua volta…que o magoavam com a sua frieza…que lhe tiravam tudo o que lhe era querido. 

Assim, Gregor vive no limite entre animal e homem, aceitando a metamorfose física e resvalando para a mentalidade que a acompanha. Cada vez mais transformado, cada vez com maior domínio sobre este estranho corpo…muito perto do esquecimento. 

E é assim, misturando o insólito com o corriqueiro, o estranho com o quotidiano, o irracional e o absurdo que Kafka nos intriga com um livro carregado de dimensões e camadas. Deixando quase tudo em aberto, permite a cada um de nós tornar este livro verdadeiramente nosso, de acordo com as nossas próprias inferências e projeções no enredo. 

Há tanto para dizer sobre este livro, mas nada que se compare a lê-lo. De construção sublime, estrutura perfeita e argumentação perspicaz, «Metamorfose» é uma obra de culto absolutamente maravilhosa.


Sinopse               

A Metamorfose (1912) narra o estranho caso de um caixeiro-viajante que uma manhã acorda transformado num monstruoso insecto. 

Autor: Franz Kafka
Editor: Editorial Presença (2010)
Páginas: 80
Original: Die Verwandlung (1915)



Nenhum comentário:

Postar um comentário