Goodreads

Destaques

0 Sherlock Holmes


Autor de vários romances históricos, séries de livros, poemas e peças; das aventuras de Sherlock Holmes, Conan Doyle deixou-nos nove livros: 
✎ Um Estudo em Vermelho (SH #1) 
Perfil Sherlock Holmes: extraído do livro «A Última Aventura de Sherlock Holmes» - Edições Europa-América / Clube do Crime✎ O Sinal dos Quatro (SH #2) 
✎ As Aventuras de Sherlock Holmes (SH #3) 
✎ Memórias de Sherlock Holmes (SH #4);
✎ O Cão dos Baskervilles (SH #5) 
✎ O Regresso de Sherlock Holmes (SH #6);
✎ O Vale do Terror (SH #7);
✎ A Última Aventura de Sherlock Holmes (SH #8) 
✎ Os Arquivos de Sherlock Holmes (SH #9);


Um Estudo em Vermelho (SH #1)

A primeira aventura de Sherlock Holmes 


O cadáver de um homem, nenhuma razão para o crime. É a primeira investigação de Sherlock Holmes, que fareja o assassino como um "cão de caça". Lamentava-se de que "não há mais crimes nem criminosos nos nossos dias", quando, nesse instante, recebe uma carta a pedir a sua ajuda — o cadáver de um homem foi encontrado numa casa desabitada, mas não há qualquer indício de roubo ou da natureza da morte. Sherlock Holmes não resiste ao apelo, mas sabe que o mérito irá sempre para a Polícia. 

A Minha Opinião:


O primeiro livro sobre um dos mais famosos detectives do cinema e da literatura: Sherlock Holmes!

Gostei imenso de ficar a conhecer melhor esta excêntrica personagem e aquele que viria a tornar-se no seu companheiro de longa data, o Dr. Watson; saber como se conheceram e como acabariam por partilhar a mesma casa. Contudo, embora estes capítulos iniciais sejam muito interessantes no que toca às personagens, não acontece praticamente nada em termos de história. Agradou-me também descobrir que o Dr. Watson nem sempre foi um fervoroso crente da genialidade de Holmes...até bem pelo contrário.

Adorei o teste analítico de Holmes para a detecção de sangue em quantidades muito diluídas, embora a descrição esteja bastante incompleta e o método me pareça pouco plausível.

E depois de as personagens principais se começarem a conhecer melhor, eis que surge um misterioso cadáver - a primeira investigação «Holmes & Watson»!...E eis que tudo muda e eu fico completamente perdida na história! A segunda parte do livro deixou-me mesmo à nora, sem saber se estava a ler uma história nova e diferente de Sherlock Holmes ou se era outra coisa completamente distinta. Esta confusão de ideias fez com que o livro se tornasse aborrecido para mim...e quando finalmente percebi do que se tratava, já tinha perdido todo o interesse no livro.

Felizmente, a acção da segunda parte decorre a um ritmo mais rápido do que a primeira, alargando-se numa história séria e complexa que aborda um tema premente.

«Um Estudo em Vermelho» não foi, definitivamente um dos libros de Sherlock Holmes de que mais gostei, mas é muito interessante no que toca a conhecer e perceber melhor o começo desta estranha, mas empenhada, «sociedade».

Frases Preferidas:
«"This fellow may be very clever", I said to myself, "but he is certainly very conceited."»
«There is nothing new under the sun. It has all been done before.»
«Where  there is no imagination, there is no horror.»
Páginas: 184
Original: A Study in Scarlet (1887)
  

O Sinal dos Quatro (SH #2)

Uma névoa amarela ronda pelas ruas de Londres e Sherlock Holmes está ele próprio envolvido numa névoa induzida por cocaína, até que uma bonita e aflita senhora forla o detetive a entrar em acção. 
Cada ano que passa desde o estranho desaparecimento do seu pai, Miss Morstan recebeu um presente - uma rara e lustrosa pérola. Agora, no dia em que é convocada para se encontrar com o seu benfeitor anónimo, ela consulta primeiro Holmes e Watson.


A Minha Opinião:


Sherlock Holmes está, definitivamente, muito longe de ser um tipo modesto!

…Miss Mary Morstan tem recebido uma misteriosa pérola por cada ano passado desde o desaparecimento do seu pai e agora que chegou a altura de conhecer o remetente destes presentes, recorre ao auxílio de Sherlock Holmes e do seu fiel amigo/assistente/ou-lá-o-que-raio-é-ele, Dr. Watson. Assim, Sherlock vê-se exatamente no meio daquilo por que mais ansiava: um novo e intrigante caso de investigação, com direito a tesouros desaparecidos, um misterioso homicídio, uma fuga digna de nota…e tudo com diversas e enigmáticas pistas onde Sherlock poderá aplicar o seu imponente intelecto e extraordinária capacidade de observação…qualidades que o próprio parece ter em grande conta…

O compasso a que se sucedem os diversos acontecimentos é formidável, o que, aliado às diversas e intrigantes reviravoltas, enchem o livro de ação. Mas, para mim, o ponto alto dos livros que narram as aventuras de Sherlock Holmes é mesmo a personalidade acutilante do seu protagonista! Um homem peculiar, a atirar para o bizarro, irreverente, extravagante, sem paciência para mentes menos vivas que a sua, com queda para a arrogância e para o pretensiosismo… bem, na verdade, um indivíduo ligeiramente detestável. Que eu adoro!

Grande parte do suspense do livro vem da cisma que Sherlock tem de esconder as elações que tira das pistas que está a seguir, juntando-nos todos (nós, Watson e os polícias que estão a investigar paralelamente o caso) no mesmo saco: o grupo de totós que OLHAM para um cigarro deixado ao acaso e VEEM…enfim…um cigarro deixado ao acaso…

Não posso dizer que tenha ficado impressionada com a história no geral mas consigo apreciar a obra: as descrições são poucas mas boas; há algum racismo pelo meio mas quando colocado em contexto histórico poderá ser «perdoado»; o ritmo é ótimo, Sir Arthur Conan Doyle não perde mesmo tempo algum; e na periferia de tudo isto temos uma história de amor: é neste segundo volume que Dr. Watson conhece a esposa, Mary Morston. 

Et voilà! No grande final Watson conquista a rapariga, Jones fica com o crédito da investigação e Sherlock…aduba a sua incansável mente …com cocaína…

«"You have done all the work in this business. I get a wife out of it, Jones gets the credit, pray what remains for you?"
"For me," sair Sherlock Holmes, "there still remains the cocaine-bottle." And he stretched his long white hand up for it.»


Frases Preferidas:
«"My mind", he said, "rebels at stagnation.»
«"No, no: I never guess, it is a shockinh habit - destructive to the logical faculty."»
 «"Women are never to be entirely trusted - not the best of them."»

Editor: Europa-América (2001)
Páginas: 176
Original: The Sign of Four (1890)


As Aventuras de Sherlock Holmes (SH #3)

Compilando a série de pequenas histórias publicadas pela revista «Strand», este volume aumentou ainda mais a popularidade de Sherock Holmes e Dr. Watson. 
Sempre coadjuvado pelo inestimável Doutor Watson, Sherlock Holmes nunca deixa por resolver os casos que lhe são apresentados. Graças ao seu método lógico-dedutivo, Holmes consegue sempre surpreender os leitores com as suas deduções, recorrendo às coisas mais triviais para solucionar mistérios aparentemente insolvíveis, com a inteligência e a acutilância que o transformaram numa das mais brilhantes e fascinantes personagens da literatura policial.


A Minha Opinião:

Doze mistérios - mais doze oportunidades para Sherlock Holmes aplicar o seu brilhante (e nada modesto) intelecto.

Algumas personagens já são nossas conhecidas dos livros anteriores, mas mais uma vez quem brilha é mesmo o protagonista: Sherlock Holmes, o homem para quem tudo é enfadonhamente óbvio!

Os casos são simples, curiosos e de resolução teórica. Cadeias misteriosas de eventos, levam os mais diversos tipos de cliente a procurar a ajuda do investigador, levando aos mais extraordinários desfechos.

As descrições estão maravilhosamente diluídas no texto, mas comparando com o livro anterior, «O Sinal dos Quatro», este é muito mais pobre em acção. Contudo,  a variedade das histórias e o curto desenvolvimento das mesmas, tornam «As Aventuras de Sherlock Holmes» um livro mais dinâmico e mais interessante de ler. 


Frases Preferidas:
«My life is spent in one long effort to escape from the commonplaces of existence.»
There is danger for him who taketh the tiger cub, and danger also for who so snatches a delusion from a woman.» (Provérbio persa) 
Editor: Bertrand Editora (2009)
Páginas: 272
Original: The Adventures of Sherlock Holmes (1892)
    

Memórias de Sherlock Holmes (SH #4)

«Algumas palavras bastarão para dizer o pouco que resta. Um exame feito por peritos deixa poucas dúvidas de que terminou uma luta pessoal entre dois homens, e dificilmente teria outro desfecho, ao andarem à roda, enredados nos braços um do outro, o criminoso mais perigoso do mundo, Moriarty, e o campeão da lei da sua geração, Sherlock Holmes.» 
Sherlock Holmes é hoje um investigador tão apaixonante quanto o era quando a fértil imaginação de Conan Doyle o criou. Em livro ou em filme, em banda desenhada ou séries de televisão, os seus continuam a prender irresistivelmente os apaixonados do mistério e do policial. Nesta obra, o campeão da lei defronta, mais uma vez, o seu eterno inimigo - o professor Moriarty.


Editor: Europa América (2009)
Páginas: 192
Original: The Memoirs of Sherlock Holmes (1893)


O Cão dos Baskervilles (SH #5) 

Há cinco séculos que o Solar dos Baskerville alberga a família Baskerville. Quando o senhor da casa, Hugo Baskerville, aparece morto, com indícios de ter sido atacado selvaticamente por um animal, surge a lenda de que a propriedade é habitada por um cão negro, diabólico, que lança fogo pelos olhos e pela boca. Todos temem o terrível animal, e quem se atreve a aproximar-se da charneca junto ao solar onde a besta domina, morre. E é o que acontece a Sir Charles Barkerville, que aparece morto. A morte é desde logo atribuída ao cão que espalha o terror pelas redondezas. O novo senhor do Solar, Henry Baskerville, sobrinho de Sir Charles, decide então recorrer a Sherlock Holmes para resolver o mistério que envolve a morte do tio. Com a sua habitual argúcia, Holmes parte para o Solar, juntamente com o inseparável Doutor Watson, para procurar descobrir o misterioso animal e tentar impedi-lo de matar mais alguém, pois o perigo espreita em todo o lado.

A Minha Opinião:

De todos os livros que li até agora de Sherlock Holmes, este é o meu preferido.
O mistério é mais denso do que o habitual e com diversas variantes e possibilidades, tornando o enredo bastante mais interessante embora Holmes esteja ausente durante grande parte da história e esta se desenvolva muito lentamente, em parte porque Watson insiste em rever constantemente o que já sabemos sobre o enigma.
Repetições à parte: gostei bastante!


Editor: Bertrand Editora (2010)
Páginas: 200
Original: The Hound of the Baskervilles (1901)



O Regresso de Sherlock Holmes (SH #6)

Quando, em 1902, Conan Doyle acaba de escrever O Cão dos Baskervilles e, apesar de ter sido peremptório quanto à morte de Sherlock Holmes — já que esta novela é cronologicamente anterior à morte do detective —, começa novamente a receber inúmeros pedidos de admiradores que querem novas aventuras de Holmes. Finalmente, nos finais de 1903, Doyle não consegue recusar a tentadora oferta da revista americana «Collier´s» e ressuscita Holmes na Aventura da Casa Vazia, onde este explica ao Dr. Watson como conseguiu sobreviver à luta com o professor Moriarty em Reichenbach. Neste conjunto de treze novas aventuras, verifica-se o fim da parceria que Doyle manteve com o talentoso ilustrador Sidney Paget.
Para além da Aventura da Casa Vazia, ficaram célebres a Aventura dos Dançarinos — onde Holmes resolve um estranho caso através da leitura de mensagens desenhadas com pequenos bonecos —, a Aventura da Ciclista Solitária — em que o caso anda à volta de um ciclista fantasma — e a Aventura dos Seis Napolões — com a perseguição e destruição de bustos do Imperador — entre outras.

Editor: Europa-América (2008)
Páginas: 360
Original: The Return of Sherlock Holmes (1901)

O Vale do Terror (SH #7)

Holmes e Watson são chamados a uma casa de campo através de uma mensagem codificada. Mas chegam demasiado tarde para salvar uma vida...no entanto, seguirão o rastro para desmascarar o assassino.

Editor: Livros do Brasil (1987)
Páginas: 360
Original: The Valley of Fear (1901)



A Última Aventura de Sherlock Holmes (SH #8) 

«Os amigos de Mr. Sherlock Holmes ficarão com certeza satisfeitos por saber que ele está vivo e de saúde, embora um pouco incomodado por ocasionais ataques de reumatismo que lhe limitam os movimentos. Reside, há muitos anos, numa pequena quinta sobre as dunas, a oito quilómetros de Eastbourne, onde divide o seu tempo livre entre a filosofia e a agricultura. Durante este período de repouso, tem recusado as mais principescas ofertas para se encarregar de vários casos porque decidiu retirar-se em definitivo da investigação criminal. Todavia, a iminência da guerra alemã obrigou-o a colocar os seus notáveis talentos intelectuais e práticos à disposição do Governo. Os resultados históricos desta decisão, conto-os em «A Última Aventura de Sherlock Holmes». Para completar o volume, acrescentei-lhe diversas experiências anteriores que há muito guardava entre os meus apontamentos.»



A Minha Opinião:


Como já me é (infelizmente) típico, comecei completamente fora de ordem e o que é «A Última Aventura de Sherlock Holmes» foi, para mim, a primeira!

Chego assim ao mundo do brilhante detective quando este já se reformou da investigação criminal...

Através dos simples e directos relatos de Dr. Watson, somos apresentados à resolução dos mais misteriosos e intrigantes casos, observando a forma como a mente de Sherlock associa diversos pequenos detalhes, encaixando-os com mestria para solucionar os crimes que lhe chegam às mãos.

A escrita de Conan Doyle é bastante dinâmica, levando a leitura a fluir muito rapidamente: Gostei muito! Só me falta agora encaixar com a ordem dos livros! ;P

Frases Preferidas:
«Mas a mulher possuía a obstinação e também a astúcia do seu sexo. Não desistiu.»
«O ar marítimo, o sol, a paciência Watson...e tudo o mais virá!»
«A honra é um conceito medieval.» 


Editor: Europa-América (1987)
Páginas: 156
Original: His Last Bow (1917)
Cotação: 3!


Os Arquivos de Sherlock Holmes (SH #9) 

As 12 histórias finais que Conan Doyle escreveu sobre Sherlock Holmes. Esta é provavelmente a mãos incomum e certamente a mais sombria colecção da sua autoria - traição, mutilação e terríveis consequências da infidelidade são apenas alguns dos temas explorados nesta colecção, juntamente com toques atmosféricos do gótico, envolvendo um vampiro, criptas, meia-noite e misteriosos ossos. 
As desafiadores e bizarras histórias reflectem os anos em que foram escritas (1920).

Original: The Case-Book of Sherlock Holmes (1927)

Nenhum comentário:

Postar um comentário