Goodreads

Destaques

0 Trilogia A Chave

A Chave da Luz (A Chave #1)

«A Chave da Luz» é o primeiro livro da trilogia «A Chave», na qual três desconhecidas têm que se unir para que cada uma possa cumprir uma missão individual, de forma a libertar três jovens deusas celtas, aprisionadas há centenas de anos graças ao malévolo deus Kane. 
Paritndo desta interessante premissa, acompanhamos a primeira destas mulheres, Malory a cumprir a sua parte do acordo. Para isso pode contar com a ajuda das duas outras mulheres envolvidas, Dana e Zoe, e de um homem que se irá revelar muito especial: o jornalista Michael Flynn. Michael irá ainda arrastar para esta dúbia equipa os seus dois amigos de infância...Contamos agora com três homens, três mulheres, três chaves que libertarão três princesas...e apenas três meses para o fazer! E Malory não sabe sequer por onde começar!
Uma mulher muito organizada e meticulosa, independente e inteligente, Malory irá precisar agora de arranjar coragem para prosseguir na sua demanda...É certo que Malory dispõe de tempo, já que perdeu o seu adorado emprego na galeria de arte, e pior que tudo, não por falta de capacidade profissional por devido a um absurdo arrufo com o patrão por causa da sua nova esposa..
Não é a primeira vez que Nora Roberts recorre a uma trilogia onde, em cada volume, é dado mais um passo em direcção à quebra de uma maldição (trilogia irlandesa e trilogia das três irmãs), portanto da sua parte não se trata de um livro original e é, além do mais, bastante previsível. Recomendo-o apenas pelo gosto de apreciar uma boa autora desenvolver uma boa história.
E Nora Roberts fá-lo como nenhuma outra escritora do género romântico - com personagens que só por si já fazem um bom livro; diálogos fantásticos; descrições formidáveis...o seu toque de magia...
Em «A Chave da Luz» assistimos ao início da formação de laços de forte amizade entre as três mulheres e à continuidade de uma amizade de anos, do tipo que nunca se perde, entre os homens. Uma equipa fantástica, na sua unificação e espírito de companheirismo e amizade. Das três protagonistas, Malory é, no meu entender, a que está menos desenvolvida e definida. 
Adorei a inclusão do cão de Flynn, o incontrolável Moe, na história. Além de ser muito engraçado, os seus episódios cómicos aligeiram a narrativa e a interacção das personagens com um animal diz-nos sempre bastante sobre o seu carácter. (E, no meu ponto de vista, isto aplica-se imenso à vida real!)
Também o desenvolvimento da componente mitológica celta está bastante pobre e demasiado simplista, deixando-me bastante insatisfeita neste aspecto.

Frases Preferidas:
«O orgulho segue a par do medo.»
«Tinha toda a vida à sua frente, como uma tela em branco. A única coisa que precisava fazer era escolher as tintas e seguir em frente» 
«Tenho medo de acordar amanhã e perceber que o que vibra cá dentro parou. Que ficou tudo em silêncio. Tenho medo de deixar de sentir o que sinto. De não sentir o que passei a vida à espera de sentir.»
«Não dia dar-lhe uma bofetada. Seria um acto demasiado previsível e feminino. Porém, esteve quase a dar-lhe um murro.»
«Acho que o amor não deve ser uma arma, ou um instrumento, ou um peso. A sua beleza reside na dádiva, sem quaisquer compromissos.»
«Não é fácil olhar para o espelho e aceitar que nos faltou uma peça qualquer, qualquer coisa que fez com que a pessoa que desejavas não te amasse.» 

Sinopse:
«Malory recebe um convite para um cocktail numa antiga mansão e aí encontra Dana e Zoe, duas jovens da sua idade... É então que os anfitriões lhes fazem um pedido: que descubram as chaves que libertarão três almas capturadas por um deus maléfico.»

AutorNora Roberts
Editor: Flamingo (2005)
Páginas: 39
Original: Key of Light (2003)
Cotação: 3!



A Chave do Saber (A Chave #2)


Neste segundo volume, já uma das missões foi ultrapassada e completada com sucesso, a de Malory, e as companheiras já sabem mais ao menos com o que podem contar...

O mesmo acontece connosco. Mais embrenhadas na história e com a personalidade das diferentes personagens já bem definida, seguimos de perto, com interesse e empatia, o desenvolvimento geral da história, para quebrar a maldição, bem como da vida pessoal destas mulheres, torcendo por elas em ambas as situações. 
Dana é a minha personagem feminina preferida desta trilogia, com bastante mais profundidade do que Malory e melhor definida nas suas convicções e teimosias. Uma bibliotecária muito inteligente e completamente devotada aos livros, Dana é também bastante impulsiva: despediu-se do seu emprego apenas por orgulho. Também Jordan contribui bastante para que este livro tenha sido bem mais interessante que o primeiro. Um famoso autor de livros - que melhor par poderia haver para Dana?!
Ficando de rastos quando Jordan simplesmente se foi embora há alguns anos atrás, Dana não está agora disposta a perdoá-lo facilmente...o que torna a comunicação entre ambos bastante cáustica e cheia de sarcasmo. 
Embora Kane, tal como as restantes personagens, tenha evoluído e investido ainda mais para as conseguir deter, o primeiro livro revelou bastante sobre a forma como cada mulher poderia cumprir a sua parte da missão, tornando todas as outras bastante previsíveis...mas apenas para nós, leitores, porque as personagens continuam às escuras durante grande parte do livro.

Frases Preferidas:
«Ler era tão delicioso como comer gelado e tão essencial como cada golfada de ar.»
«Eu tenho a minha vida, ele tem a dele. E as duas já não se cruzam.»
«Não tinha medo das responsabilidades, era bom saber disso. Não tinha medo do trabalho, fosse ele físico ou mental. Mas tinha, apercebeu-se, muito medo de falhar.»
«Um homem nunca está mais sozinho do que quando está rodeado pelo passado.»
«Haverá alguma coisa mais dolorosa ou humilhante do que amar alguém que gosta sinceramente de nós?» 
«Não há nada tão perfeito como um cão. Um conforto, um amigo, um guerreiro, um entretenimento. Só pedem que os amemos.»
«Não há nada que não traga também dor, perda ou um preço.»
«O que nos governa a todos se não a paixão? Ambição, cobiça, ódio, vaidade. São paixões, todas essas emoções.» 

Sinopse:
Para Dana, a literatura é o que define a vida. Porém, agora o saber assume uma maior importância, pois é através dele que poderá descobrir uma das chaves... A sua missão não aparenta ser fácil, contudo, a amizade de Malory e Zoe irá ajudá-la.

AutorNora Roberts
Editor: Flamingo (2005)
Páginas: 343
Original: Key of Knowledge (2003)
Cotação: 4!


A Chave da Coragem (A Chave #3)

Dos três livros desta trilogia, «A Chave da Coragem» foi o que menos gostei, apesar de reconhecer que, das três mulheres Zoe será a mais realista e a mais bem estruturada e admirável nas suas qualidades. 

Mãe solteira, Zoe conheceu varias dificuldades na vida até chegar onde está agora. É a vez dela cumprir a sua parte para acabar de vez com a maldição imposta por Kane. Para tal conta com o auxílio das amigas e sócias, e também com o apoio, amor e dedicação de Brad...sentimentos que Zoe se recusa teimosamente a aceitar ou a identificar nela própria. 

É esta recusa e indecisão infundamentadas (já que Brad é simplesmente perfeito, tanto para ela como para o seu filho Simon) que tornam o desenvolvimento do livro consideravelmente aborrecido...e Zoe chega a parecer uma grandessíssima chata: para uma mulher que foi sozinha, de noite,a uma mansão sombria, cujos proprietários não conhecia e aceitou fazer parte de uma missão completamente alucinada tendo como base apenas o que lhe foi dito por um casal estranho e sinistro...Zoe tem demasiada dificuldade em confiar num homem que ficou a conhecer muito bem e que não apresentou o mínimo sinal suspeito. 

Enfim, não consegui simpatizar pessoalmente com Zoe...mas parece-me, pela forma como a descreveu, que esta é a personagem preferida de Nora Roberts na trilogia. 

sendo este o terceiro volume de uma história cujo desfecho e forma de chegar a este mesmo desfecho, torna-se demasiado previsível para que possa ser apreciado convenientemente. especialmente para quem, como eu, ler os três livros de seguida.

Frases Preferidas:
«Não vou pedir desculpa. Se continuares a meter-te à minha frente, vais dar um óptimo alvo.»
«As pessoas que dizem que sexo não é importante só podem ter falta dele.» 
Sinopse:
«A beleza e a verdade não são nada sem a coragem para as manter. Mas um par de mãos pode apertar com demasiada força, e o que é precioso corre por entre os dedos. Perda e sofrimento, mágoa e vontade, marcam o árduo caminho pela floresta. Ao longo da viagem há sangue, a morte da inocência e dos fantasmas do que podia ter sido. Sempre que o caminho se bifurca, é a fé que escolhe o caminho ou a dúvida que o bloqueia. Será desespero, ou alegria? Poderá haver realização sem o risco de perder? Tratar-se-á de um final, ou de um princípio? O caminho seguirá até à luz, ou regressará às trevas?» Três mulheres. Três chaves. Cada uma das três mulheres tem vinte e oito dias para encontrar o seu caminho através de uma perigosa busca que poderá completar-lhe o destino... ou destruir para sempre a sua vida»

AutorNora Roberts
Editor: Flamingo (2005)
Páginas: 349
Original: Key of Valor (2003)
Cotação: 3!




Nenhum comentário:

Postar um comentário