Goodreads

Destaques

0 O Lado Selvagem (Jon Krakauer)

~ John Krakauer ~ O Autor,

Jon Krakauer é um jornalista e alpinista americano, contribuindo com os seus fascinantes artigos para a revista Outside, National Geographic e GEO. 
É autor do célebre livro não ficcional: «O Lado Selvagem» e outros livros de não-ficção.


Obras Publicadas:
  • O Lado Selvagem;
  • Into Thin Air;
  • Under The Banner Of Heaven: A Story Of Violent Faith;
  • Where Men Won Glory: The Odissey Of Pat Tillman;
  • Eiger Dreams: Ventures Among Men and Mountains;
  • Three Cups of Deceit: How Greg Mortenson, Humanitarian Hero, Lost His Way;

~ O Lado Selvagem ~ 

Sinopse:
«Baseado no caso real de Christopher McCandless, um jovem de vinte e dois anos que, ao terminar a faculdade, doou todo o seu dinheiro a uma instituição de caridade, mudou de identidade e partiu em busca de uma experiência genuína que transcendesse o materialismo do quotidiano. Começando a sua viagem pelo Oeste americano, Christopher dá igualmente início a uma aventura que mais tarde viria a encher as páginas dos jornais e que termina com a sua morte no Alasca. Uma morte misteriosa… Acidental ou propositada? Um livro comovente que cativa o leitor pela forma como é retratada a força indomável de um espírito rebelde e lírico.»

Autor: Jon Krakauer
Editor: Editorial Presença (2008)
Páginas: 224
Título Original: Into The Wild (1996)
Cotação: 2
 


«O Lado Selvagem» foi adaptado ao cinema em 2007 por Sean Penn, com Vince VaughnZach GalifianakisKristen Stewart e Catherine Keener.



E, já agora, enquanto lêem a minha opinião sobre o livro podem ouvir uma das minhas músicas preferidas que faz parte da banda sonora d'«O Lado Selvagem». Chama-se Society, de Eddie Vedder (Pearl Jam): 



A Minha Opinião:
Krakauer é jornalista...e escreve com a objectividade de um. Penso que neste livro havia a necessidade de puxar mais um bocadinho pelo seu lado sentimental, o que não fez... Mas por outro lado, talvez McCandless não quisesse isso...

Com o impacto óbvio de um drama verídico, é notável a grande investigação no terreno que Krakauer terá efectuado para escrever este livro da forma detalhada com que o fez. Não só a descrição do caminho percorrido por McCandless, do estilo de vida que levava mas também a inclusão de relatos partilhado pelas pessoas que contactaram com ele nos últimos tempos da sua vida. 

Lamentavelmente, a narrativa nem sempre segue de forma lógica no tempo cronológico em que tomaram parte os acontecimentos, o que torna esta leitura, especialmente no início, ligeiramente confusa. 

Partilhando episódios da sua própria vida, mas não só, Krakauer esforça-se e aplica-se na demanda de tentar compreender e justificar, de algum modo, o lado selvagem de Chris McCandles. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário