Goodreads

Destaques

2 O Braço Esquerdo de Deus


O Braço Esquerdo de Deus
O Braço Esquerdo de Deus #1
O Braço Esquerdo de Deus  «A sua chegada foi profetizada. Dizem que ele destruirá o mundo. Talvez o faça... "Escutem. O Santuário dos Redentores, em Shotover Scarp, é uma mentira infame, pois lá ninguém encontra santuário e muito menos redenção."
  O Santuário dos Redentores é um lugar vasto e isolado - um lugar sem alegria e esperança. A maior parte dos seus ocupantes foi levada para lá ainda em criança e submetida durante anos ao brutal regime dos Redentores, cuja crueldade e violência têm apenas um objetivo - servir a Única e Verdadeira Fé. Num dos lúgubres e labirínticos corredores do Santuário, um jovem acólito ousa violar as regras e espreitar por uma janela. Terá talvez uns catorze ou quinze anos, não sabe ao certo, ninguém sabe, e há muito que esqueceu o seu nome verdadeiro - agora chamam-lhe Cale.
  É um rapaz estranho e reservado, engenhoso e fascinante. Está tão habituado à crueldade que parece imune a ela, até ao dia em que abre a porta errada na altura errada e testemunha um ato tão terrível que a única solução possível é a fuga.
Mas os Redentores querem Cale a qualquer preço... não por causa do segredo que ele sabe mas por outro de que ele nem sequer desconfia.
  Com O Braço Esquerdo de Deus, primeiro volume de uma trilogia, Paul Hoffman confirma-se como uma das novas grandes vozes da literatura de Fantasia.»

Autor: Paul Hoffman
Editor: Porto Editora (2010)
Páginas: 400
Original: The Left Hand Of God (2009)
   




Opinião:
Confesso que este review seria muito mais entusiástico se eu não tivesse lido já o segundo volume desta trilogia. Não recomendo «O Braço Esquerdo de Deus» a 100% porque o título que se segue, «As Quatro Últimas Coisas»  é, em comparação, uma desilusão!
Gostei imenso d'«O Braço Esquerdo de Deus», embora grande parte da narrativa esteja mal concebida e estruturada. Mas a sua intrigante história leva o leitor a lê-lo afincadamente, quase sem o conseguir pousar, ficando em pulgas para ler a continuação da história no segundo livro.
Além da trama ser muito interessante, o protagonista - Cale - é cativante e as suas inesperadas ações mantêm o interesse do leitor vivo e a leitura vibrante e rápida.
É, contudo, ligeiramente frustrante não haver uma noção exata sobre o local de ação onde tudo se desenrola…Que mundo é este?! O nosso, mas numa outra época? Passado? Futuro? Ou um outro mundo completamente novo?
«O Braço Esquerdo de Deus» oferece-nos variedade…alternando entre uma conotação mais sombria e relatos pesados e passagens animadas e divertidas!


As Quatro Últimas Coisas
O Braço Esquerdo de Deus #2
As Quatro Últimas Coisas«Morte, Juízo, Paraíso e Inferno.
As Quatro Últimas Coisas que nos reserva o Destino. 
Agora há uma Quinta. O Seu Nome é Thomas Cale.
De regresso ao Santuário dos Redentores, Thomas Cale parece aceitar o papel que lhe é atribuído: o destino escolheu-o como o Braço Esquerdo de Deus, o Anjo da Morte. O poder absoluto está agora ao seu alcance; o terrível zelo e domínio militar dos Redentores é uma arma nas suas mãos hábeis e prontas para cumprir o objetivo supremo da Única e Verdadeira Fé – a destruição da Humanidade. Mas talvez o sombrio poder dos Redentores sobre Cale não seja suficiente – ele vai do amor ao ódio num abrir e fechar de olhos, da bondade à mais brutal violência num segundo. A aniquilação que os Redentores procuram pode estar nas mãos de Cale – mas a sua alma é muito mais estranha do que alguma vez poderão imaginar…»

Autor: Paul Hoffman
Editor: Porto Editora (2012)
Páginas: 360
Original: The Last Four Things  (2011)

   

Opinião:
Classifico este livro com uma estrela, não por ser completamente mau mas por não estar, de modo algum, à altura do do seu predecessor.

Depois d'«O Braço Esquerdo de Deus», seria obviamente de esperar que a história se desenvolvesse num sentido interessante e que as personagens crescessem e ganhassem alguma maturidade e profundidade...mas o que acontece é que o livro basicamente não tem história...limita-se a relatar (de forma pobre e mal estruturada) uma série de acontecimentos - na sua maioria batalhas lideradas por Cale.

Quando às personagens, perdemo-las completamente. Não parecem sequer os mesmos miúdos do primeiro livro. O destemido e impressionante Cale parece um nabo lobotomizado e reprogramado apenas para se dedicar a guerrilha e vingança. E, sinceramente, Paul Hoffman não se dedicou sequer à construção de um amor assim tão grandioso e intenso entre Thomas Cale e Arbell no livro anterior para agora condicionar todas as acções do protagonista à volta desse romance adolescentóide. 

Como se não bastasse, as histórias paralelas não têm piléria nenhuma...

No primeiro livro não me aborreceu tanto a classificação do livro como sendo do género  fantástico porque gostei imenso de o ler. Mas neste irritou-me um bocado porque não vejo aqui elementos do fantástico...acho simplesmente que não conseguiram classificar este livro em nenhum dos outros géneros e resolveram espetá-lo nesta categoria por ser das mais subjectivas....Mas fantástica só mesmo a pretensão de Hoffman em achar que teria capacidade para esticar esta história em três volumes mantendo o leitor interessado. 

O Anjo Negro
O Braço Esquerdo de Deus #3
«A tua alegria está em arrasar coisas…
O que te alegra a alma é destruição e desolação.»
Thomas Cale anda a fugir da verdade. Desde que descobriu que o seu brutal treino militar tinha um objetivo - destruir o maior erro de Deus, a própria Humanidade - Cale é perseguido pelo mesmo homem que fez dele o Anjo da Morte: o papa Redentor Bosco.
Cale é um paradoxo: arrogante e inocente, generoso e desapiedado, temido e venerado por aqueles que o criaram, ele já deu inúmeras provas do seu enorme poder.
Mas agora Thomas Cale está fraco. A sua alma está a morrer. Enquanto as convulsões lhe percorrem o corpo, sabe que o julgamento final não esperará por um rapaz doente. À medida que o Dia do Juízo se aproxima, a vingança de Cale leva-o ao coração das trevas - o Santuário - onde confrontará a pessoa que mais odeia no mundo. Por fim, Cale terá de admitir que é a encarnação da Ira de Deus e decidir se se erguerá contra o Santuário dos Redentores ou se usará as suas capacidades únicas para destruir todas as coisas.
O destino da Humanidade depende da decisão de Cale.

Autor: Paul Hoffman
Editor: Porto Editora (Abril, 2014)
Páginas: 360
Original: The Beating of His Wings  (2013)

    

2 comentários:

  1. Qual é o terceiro volume desta trilogia ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá :)
      O terceiro volume é o "The Beating of His Wings", já o vi na Fnac, mas ainda não tem edição portuguesa :(

      Excluir