Goodreads

Destaques

0 História Merdosa de Quase Tudo

~ História Merdosa de Quase Tudo ~ de Antal Parody 



Sinopse
História merdosa de Quase Tudo«Qual a nossa origem e para onde vamos? O que conseguimos realizar desde o começo da civilização e o que conseguimos estragar? História Merdosa de Quase Tudo responde a estas questões e a muito mais sobre a história do nosso planeta. Desvendando eventos sombrios e desenvolvimentos pouco usuais no universo nos últimos milhares de anos, esta obra cobre uma vasta gama de assuntos corriqueiros. Por exemplo, sabia que Drusus César, filho do Imperador Tibério, adorava brócolos de tal forma que quase não comia mais nada, e que só parou porque começou a urinar verde? Ou que os antigos egípcios caminhavam longas distâncias descalços com as sandálias aos ombros e que só as calçavam quando chegavam ao seu destino? Ou que os romanos colocavam perfume nos animais de estimação e nos cavalos? O encanto deste conjunto de informações, tão valiosas como triviais, reside no facto do autor não se importar se as achamos úteis ou não. Conheça o mundo de hoje e a sua história louca e maravilhosa. Uma obra que diverte e informa ao mesmo tempo.» 

Autor: Antal Parody 
Editor: Europa-América (2010)
Título Original: A Shite History Of Nearly Everything (2007) 

Cotação: 1*




A Minha Opinião:

A única coisa que gostei neste livro foi do título...

Além de ser um livro confuso, as explicações do autor são vagas, desinteressantes e mal construídas. De qualquer das formas, é difícil tornar as justificações interessantes quando a maior parte dos temas não o é!

Apesar de pequeno, achei o livro difícil de ler porque é aborrecido e monótono - nada daquilo que esperamos quando adquirimos um livro deste género...com este título...

Sobressaem diversas tentativas de humor por parte do autor, mas estas tendem a falhar redondamente. 


Outros livros do autor (nomes bastante sugestivos)
  • Eats, Shites and Leaves 
  • Shite's Unoriginal Miscellany 
  • Old Shite's Almanac 
  • Shitedoku: Addictive. Fun. Shite.

Nenhum comentário:

Postar um comentário