Goodreads

Destaques

0 O Símbolo Perdido



Sinopse 

«Doze horas alucinantes!
O leitor mergulha mais uma vez num mundo de misticismo, sociedades secretas e locais escondidos de uma Washington pouco reconhecida. O que esconde, afinal, a Chave de Salomão? Que mensagens secretas estão codificadas nesse livro misterioso?
Robert Langdon, o professor de Harvard especialista em Simbologia, tem apenas 12 horas para o revelar. É pois o regresso de Dan Brown ao registo que o tornou mundialmente famoso: pictogramas cifrados, mensagens ocultas, símbolos descodificados, "suspense" e acção a um ritmo vertiginoso.»


Autor: Dan Brown
Editora: Bertrand Editora (2009)
N.º Páginas:
Título Original: The Lost Symbol (2009)
Cotação: 



___________________________________________________

A Minha Opinião: 

Com Dan Brown já sabemos o que esperar - e mais uma vez, o autor segue a fórmula que lhe trouxe sucesso, só que agora a façanha desenrola-se em Washington D.C.

Em O Símbolo Perdido, Robert Langdon vive uma aventura menos fantasiosa que nos livros anteriores (Anjos e Demónios e O Código Da Vinci), desvendando um mistério que se afigurava também mais credível…até que o livro chega ao fim e o leitor é confrontado com o fato de não existir basicamente mistério nenhum!

Leitores habituados a Dan Brown esperavam com certeza um desfecho grandioso, com a revelação de um segredo profundo…mas não…nada de "grande revelação"…! O autor começa a fermentar ideias, induzindo-nos a acreditar que haverá de fato uma revelação chocante e bombástica no fim, quando na realidade não existe nada disso. Aliás, a dita "revelação" é mais do que previsível devido ao rumo que a história toma, deixando-nos com um único pensamento: "Okay, era isto?!"

Penso que Brown queria atingir um final em grande, carregado de significado…mas ofereceu-nos apenas uma grande desilusão!

O Símbolo Perdido é, dos três livros que relatam as aventuras do professor Langdon, o mais passivo, o mais repetitivo e o menos intrigante e, contudo, foi aquele de que gostei mais… talvez devido à atmosfera mais realista e conceitos mais razoáveis.

O vilão desta história apresenta-se como um indivíduo muito motivado mas quando finalmente os seus fundamentos são revelados estes apresentam-se como insuficientes e pouco coesos

Apesar de muito detestável, este vilão não passa de um psicopata com disturbios sérios, ao contrário dos vilões tão bem construídos, organizados e complexos dos volumes anteriores.

É reconfortante observar através deste livro que afinal Langdon não sabe tudo e que Dan Brown faz uma pausa no conceito de que somos todos uns pategos desesperados pelos seus sábios e ilimitados conhecimentos - pondo o protagonista em confronto pessoal entre o que sempre considerou ser a verdade e a nova revelação que lhe foi imposta. 

Tal como nos outros livros, o leitor fica imerso na história e sente grande interesse em seguir a trama até ao fim, aguardando com curiosidade o desfecho. Mas Brown faz-nos esperar…e esperar…por nada…!

Resumindo: bom entretenimento, rápido, bem construído, com passagens interessantes e intensas … mas fica ligeiramente aquém das expectativas no que toda à conclusão final. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário