Goodreads

Destaques

0 Anjos e Demónios


Sinopse:

«Robert Langdon - quem não o conhece? - ajudado desta vez por Victoria Vetra, cientista do CERN, procura desesperadamente a antimatéria no meio das intricadas pistas deixadas pelos Iluminati, lutando contra o tempo para salvar o Vaticano.
Quando um famoso cientista do CERN é encontrado brutalmente assassinado, o professor Robert Langdon é chamado para identificar o estranho símbolo gravado no seu peito. A conclusão é avassaladora: a marca é de uma antiga Irmandade chamada Iluminati, supostamente extinta há séculos e inimiga da Igreja Católica. Em Roma, o Colégio dos Cardeais está reunido para eleger um novo Papa quando se apercebe do rapto de quatro cardeais, ao mesmo tempo que a Guarda Suíça é informada de que uma perigosa arma está na cidade do Vaticano com o propósito de a destruir.»




Autor: Dan Brown
Editora: Bertrand Editora (2009)
N.º de Páginas: 688
Título Original: Angels and Demons (1999)
Cotação:





Frases do Livro: 
«A lógica, por definição, é destituída de responsabilidade moral.» (~Dan Brown)
«A própria ciência provoca metade dos problemas que tenta resolver. O "progresso" é a derradeira doença maligna da Mãe Terra.» (~Dan Brown)
«O seu intelecto parece ser produto de um gélido divórcio com o seu próprio espírito interior.» (~Dan Brown) 
«Nada desperta mais o interesse humano que a tragédia.» (~Dan Brown)
«Se não foi penoso e difícil é porque fizeste errado.» (~Dan Brown) 

_________________________________________________


A Minha Opinião:

O início de Anjos e Demónios é demasiado semelhante ao de O Código Da Vinci e, aliás, o conceito de ambos é basicamente o mesmo. De qualquer das formas, é a primeira metade deste livro que merece as três estrelas, uma vez que a segunda metade é ligeiramente monótona e o final é desinteressante e demasiado fantasioso (especialmente a forma como Langdon se safa na cena do helicóptero...).

Fortemente criticado pelo aparente fraco nível de pesquisa envolvida na construção da obra e acusado de distorcer vários factos de forma a que melhor lhe sirvam de argumento, Dan Brown apresenta-nos no entanto um thriller muito interessante que prende o leitor até ao grande desfecho.

Neste combate entre ciência e religião, Brown ganha pontos por não tentar converter o leitor a nenhum dos pontos de vista apresentados, deixando isso ao critério de cada um. Contudo, tudo o resto é tolhido pela própria visão do autor, através de descrições pormenorizadas e explícitas, não deixando nada ao leitor para subentender, acrescentar ou concluir por si próprio.

Dado isto, a narrativa salva-se justamente devido àquilo que julgamos saber devido às direcções apontadas por Brown mas que nos levam apenas a diversos becos sem saída - confundindo o leitor e mantendo o seu interesse vivo.

As ideias de Dan Brown são bastante boas e interessantes, contudo, a concepção das mesmas falha um bocadinho - aparentemente, para Brown o tempo é relativo já que o mesmo período de tempo que serve para as personagens darem a volta ao mundo (em sentido figurativo) não serve para irem sequer à casa de banho (em sentido mais do que figurativo), dependendo da situação...

Uma história em constante mudança, cenas a ocorrer em locais reais e bem conhecidos do público em geral e a apresentação de vários pontos de vista sem desorientar, no entanto, o leitor contribuem para o sucesso deste livro, compensando as suas falhas mais acutilantes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário